Alisson Costa

Alisson Costa

Termina nesta quarta-feira (8) o prazo para quem estiver fora do domícilio eleitoral solicitar segunda via do título de eleitor. Segundo explica o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o documento pode ser pedido em caso de roubo, perda ou más condições da primeira via.

Os cidadãos podem fazer o pedido em qualquer cartório eleitoral e é necessário informar se o documento será recebido na zona eleitoral original ou na cidade em que o pedido está sendo feito.

O G1 destaca que, em caso de inutilização é necessário apresentar a primeira via do título. Se o título foi roubado ou perdido, o requerimento é encaminhado ao juiz, que tem um prazo de cinco dias para deferir a solicitação.

Para fazer o pedido é necessário apresentar um documento de identificação original com foto, como RG, Carteira de Trabalho e Previdência Social, carteira emitida pelos órgãos criados por lei federal, controladores do exercício profissional (OAB, CRM, CREA etc) ou Carteira Nacional de Habilitação.

Para eleitores que estão em seu domicílio eleitoral e querem tirar a segunda via, o prazo se estende até 10 dias antes da eleição, ou seja, até 27 de setembro.

O eleitor deve estar quite com a Justiça Eleitoral, ou seja, não poderá ter débitos por ausência às urnas ou aos trabalhos eleitorais. O cidadão que fizer a solicitação também não pode ter condenação criminal com a pena não cumprida ou ter condenação por improbidade administrativa cuja pena de suspensão de direitos políticos não tenha sido cumprida. Também é proibido fazer o pedido se estiver cumprindo ou não tiver prestado o serviço militar obrigatório.

 

Fonte: Noticias Ao Minuto

Lei Maria da Penha completa 12 anos nesta terça-feira (7) em meio a várias notícias de crimes cometidos contra mulheres, principalmente homicídios. Sancionada em 7 de agosto de 2006, a Lei 11.340 representa um marco para a proteção dos direitos femininos ao endurecer a punição por qualquer tipo de agressão cometida contra a mulher no ambiente doméstico e familiar.

Em pouco mais de uma década de vigência, a Lei motivou o aumento das denúncias de casos de violação de direitos. Segundo o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), que administra a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180, foram registradas no primeiro semestre deste ano quase 73 mil denúncias. O resultado é bem maior do que o registrado (12 mil) em 2006, primeiro ano de funcionamento da Central.

As principais agressões denunciadas são cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As denúncias também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crime contra a mulher.

A partir da sanção da Lei Maria da Penha, o Código Penal passou a prever estes tipos de agressão como crimes, que geralmente antecedem agressões fatais. O código também estabelece que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham prisão preventiva decretada se ameaçarem a integridade física da mulher.

Pela primeira vez, a Lei também permitiu que a justiça adote medidas de proteção para mulheres que são ameaçadas e correm risco de morte. Entre as medidas protetivas está o afastamento do agressor da casa da vítima ou a proibição de se aproximar da mulher agredida e de seus filhos.

Além de crime, a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda considera a violência contra a mulher um grave problema de saúde pública, que atinge mulheres de todas as classes sociais.

A lei leva o nome de Maria da Penha Maia, que ficou paraplégica depois de levar um tiro de seu marido. Até o atentado, Maria da Penha foi agredida pelo cônjuge por seis anos. Ela ainda sobreviveu a tentativas de homicídio pelo agressor por afogamento e eletrocussão.

Feminicídio
Fruto da Lei Maria da Penha, o crime do feminicídio foi definido legalmente em 2015 como assassinato de mulheres por motivos de desigualdade de gênero e tipificado como crime hediondo. Segundo o Mapa da Violência, quase 5 mil mulheres foram assassinadas no país, em 2016. O resultado representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em dez anos, houve um aumento de 6,4% nos casos de assassinatos de mulheres.

Nos últimos dias, alguns casos de agressão e morte contra mulheres repercutiram em todo o país e reacendeu o debate em torno da violência de gênero. No interior do Paraná, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) apresentou denúncia por feminicídio contra o biólogo Luís Felipe Manvailer pelo assassinato de sua esposa, a advogada Tatiane Spitzner. Ela foi encontrada morta, no dia 22 de julho, depois de, supostamente, ter sido empurrada do 4º andar do prédio onde o casal morava, em Guarapuava (PR).

Em Brasília, a Polícia Civil prendeu ontem (6) em flagrante um homem de 44 anos acusado de matar a esposa. A mulher de 37 anos morreu depois de cair do terceiro andar do prédio onde o casal morava. O agressor vai responder pelo crime de homicídio triplamente qualificado (quanto é cometido por motivo torpe, sem possibilidade de defesa da vítima e feminicídio). Segundo a investigação, neste caso há histórico de violência doméstica, com brigas frequentes, agressões, injúrias e ameaças recíprocas.

 

Fonte: Agência Brasil

A assessoria de imprensa da dupla Victor & Leo confirmou nesta segunda-feira (6) que os sertanejos vão se separar por tempo indeterminado após 26 anos de carreira.

De acordo com o UOL, os dois querem se focar em projetos pessoais. Leo Chaves, de 41 anos, quer investir na carreira de escritor e palestrante. Inclusive, o cantor lançou o livro "No colo dos anjos" no último fim de semana na Bienal de São Paulo.

A dupla vai lançar o último trabalhos juntos, o DVD "O cantor no sertão", nesta semana. Além disso, o calendário de shows será cumprido até o fim de setembro.

 

Fonte: Noticias Ao Minuto

Neste último fim de semana, o humorista Carlinhos Maia, um dos artistas mais populares no Instagram, decidiu fazer uma série de desabafos no Stories da rede social. Isso porque o influenciador digital revelou que está passando por alguns problemas relacionados a sua mãe biológica.

A mulher reapareceu e tem causado confusão na vida de Carlinhos. “Nunca na minha vida me procuraram na pobreza quando eu não tinha nada, vem me procurar agora me pedindo dinheiro e eu dei. Em menos de quinze dias me pediram mais dinheiro, eu disse: ‘Espera aí, de jeito nenhum'", revelou.

O humorista contou que um suposto tio enviou mensagens via WhatsApp criticando seu trabalho e falando que o rapaz não ajudava a mãe biológica. Nervoso com a situação, Carlinhos contou que já conversou com seus advogados pois recebeu ameaças da mulher dizendo que iria fazer vídeos falando da relação deles.

Carlinhos rebateu as acusações de que teria abandonado a mãe biológica: "Minha mãe é a Maria (mãe adotiva), que cuidou de mim desde meu segundo dia de nascido. Ela (mãe biológica) pediu dinheiro e eu não dei, então ela voltou desaforada com ameaças... Por que não me queriam quando eu nasci? Se ela tivesse chegado em mim da maneira certa eu ajudava, mas deste jeito?", disparou.

O humorista também contou que mandaram mensagens xingando a mãe dele, dona Maria, e por isso ele decidiu abrir um processo contra a pessoa, que seria um suposto tio.

Após a repercussão do caso, Carlinhos vem recebendo inúmeras mensagens de apoio nas redes sociais.

 

Fonte: MSN

Se você gosta de sagas ~que parecem infinitas~, ficará feliz com esta notícia. Sim, o sexto filme de Piratas do Caribe está sendo produzido, segundo o Omega Underground, e pode chegar às telinhas em 2021.

O novo longa será dirigido por Joachim Rønning, que atualmente está filmando Malévola 2. Agora vem a grande questão, pós-James Gunn, a Disney tolerará o retorno de Johnny Depp em um sexto filme? Devido as polêmicas do ator.

O produtor Jerry Bruckheimer aparentemente não vê problemas com Depp, afirmando no ano passado para a DigitalSpy que ele não vê a franquia continuar sem o ator. Mas, no fim do dia, é uma propriedade da Disney e eles podem fazer o que quiserem com os filmes.

Jerry comentou sobre o assunto:

“Eu simplesmente não vejo isso acontecer. O segredo para qualquer franquia de sucesso é escolher pessoas talentosas, e Johnny é absolutamente fundamental para o sucesso do Piratas do Caribe. Ele é um personagem único, um personagem tão simpático e um personagem tão irreverente, tudo em um. ”

Bom, com os relatos de Depp dando um murro em um membro da equipe em seu último filme, que o levou a uma ação judicial (sem excluir as alegações anteriores de abuso doméstico), não sabe-se se a Disney vai fazer algo sobre isso. Agora é esperar.

 

Fonte: PapelPop

Receba nossa Newsletter


Para assinar nossa newsletter e você receber informações sobre as Promoções e novidades na Rádio RCN, basta digitar seu e-mail abaixo e pressionar o botão "Enter" do teclado.

 55 79 9 8141-3985